SINCOVAL
« página inicial
(43) 3342-3132

Notícias

NOTA PÚBLICA

Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

NOTA PÚBLICA

 

O SINCOVAL – Sindicato do Comércio de Londrina e Região, é veemente contrário à manifestação que tem sido organizada por entidades representantes de diversas categorias profissionais, além de outras contrárias à reforma da previdência e programada para que ocorra nesta sexta-feira, 14 de junho.

 

Diferente das manifestações de apoio à reforma, que ocorrem aos domingos e sem estimular a paralisação de qualquer atividade, pública ou privada, a manifestação prevista para amanhã tem como premissa essencial levar o caos ao cidadão comum, aos entes públicos e aos empregadores. Por isso ela é programada para ocorrer em horário e dia de expediente normal em todo o país. Os participantes desta paralisação demonizam o lucro e repudiam a livre iniciativa de empreender.

 

Seus organizadores, pelo menos em nossa região, não demonstraram qualquer interesse em dialogar com pessoas ou entidades que não possuam postura ideológica compatível. Ao contrário, fecharam-se e deliberaram pela paralisação, independentemente de qualquer debate em que o livre pensamento, mesmo controvertido, seja exposto, conforme se espera dos que vivem em um ambiente democrático.

 

Nos dias de hoje, a história de nosso país escreve novas páginas e para esta diretoria só há um caminho. O de assumir as suas responsabilidades decorrentes da Constituição e da Lei e, como entidade autônoma, por respeito à consciência de coletividade e da competência técnica dos seus integrantes, dirigidos apenas pelo amor à verdade, a objetividade negocial e os princípios democráticos, cumprir aquilo que os empresários integrantes da categoria, a sociedade e o interesse público esperam.

 

A paralisação dos serviços de transporte poderá prejudicar a vinda de trabalhadores para o serviço. Para resolver este problema, permitam que os trabalhadores façam o percurso utilizando-se de outros meios de transporte que não o transporte coletivo realizado por empresas concessionárias. Em média, o custo dos serviços de transporte alternativos, quando divididos por 3 passageiros, acaba por equivaler o preço da passagem de ônibus. Tal providência, além de impedir a quebra da necessária rotina de negócios, esvazia o debate a respeito da importância do transporte coletivo público e seu preço.

 

Temos noção dos desafios que deveremos enfrentar amanhã. Mas gostamos de desafios, temos ideias e estamos dispostos a lutar por elas. Neste momento, nos sentimos estimulados.

 

Amanhã, vamos nos empenhar para preservar um ambiente propício de negócios, que é a base de toda cadeia produtiva e essencial para o desenvolvimento de nossa região. Não podemos nos render à subserviência esperada pelo movimento. Temos que trabalhar!

 

Empregados e empregadores não estão em lados opostos. O salário dos trabalhadores não é fonte de renda empresarial. Quem sobrevive dos salários dos empregados, pagos pelos empregadores, são as entidades que organizam este movimento.

 

Nossos objetivos serão sempre pautados por maior competência técnica, investimento na formação e na especialização de nossos trabalhadores, maior empenho e mais apurada consciência jurídica, base fundamental para nosso crescimento como cidadãos e empresários.

OVHANES GAVA

Presidente